02 maio 2017

Janaína Paschoal: o petista padrão é um crente

Para jurista, eleitor sempre tem uma desculpa para votar em Lula

Janaína Paschoal criticou impunidade para envolvidos em esquemas de corrupção Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Redação noticias@band.com.br

 

A jurista Janaína Paschoal afirmou que “todo petista padrão é crente” ao criticar a liderança do ex-presidente Luiz

Inácio Lula da Silva nas intenções de voto para a disputa presidencial de 2018.Em entrevista ao apresentador José Luiz Datena no programa 90 Minutos, da Rádio Bandeirantes, a coautora do processo de impeachment de Dilma Rosseff (PT) questionou a “falta de racionalidade” dos eleitores do petista.

“Se você mostrar o Lula matando alguém, o petista vai arrumar uma desculpa para votar nele”, disse.

Para Janaína, a situação diverge dos eleitores de demais candidatos, que procuram alternativas em meio as acusações de corrupção.

Durante a entrevista, Paschoal fez fortes críticas à soltura de presos por crimes de corrupção. Segundo ela, a falta de punição na criminalidade política traz reflexo para os casos registrados em outras esferas: “Você pega o jovem que tem dificuldade, ele mora em um ambiente propício ao crime, ele olha e vê ex-ministro que desviou bilhões, vê cidadão ser preso e o ministro do Supremo fazendo um discurso em nome da liberdade, do Estado democrático de direito. Qual o estímulo pra esse menino estudar, trabalhar e não entrar no crime?”.

“Apreensiva”

A jurista afirmou acompanhar com apreensão os repetidos casos de liberdade e falta de punição para envolvidos em esquemas de corrupção. “Eu tenho uma preocupação que essas decisões que vêm acontecendo [de liberar presos pela Lava Jato], e que estão de certa forma se mantendo como uma tendência, sejam parte de um acordo ainda que velado para garantir uma estabilidade”, afirmou.

Para ela, esta repetição a realidade enfrentada no país, em que nem mesmo a “exposição não é suficiente” para cessar o envolvimento de políticos em esquemas de corrupção.

Foro privilegiado

Em relação ao fim do foro privilegiado, Janaína diz entender o ponto de vista de proteção a políticos que a população tem sobre o assunto, mas que não acredita na eficácia do fim da condição, justamente pela visibilidade garantida pelo Supremo Tribunal Federal.

“Eu não tenho essa convicção, que eu vejo as pessoas ostentarem, de que o fim do foro vai melhorar”, concluiu.

Fonte: Band

Deixe um Comentário